Acidentes de trabalho já geraram R$ 1 bilhão em benefícios acidentários em 2018

Acidentes de Trabalho já causaram R$ 1 bilhão em benefícios trabalhistas em 2018

Entre janeiro e março deste ano, mais de R$ 1 bilhão foram despendidos em benefícios acidentários provenientes de acidentes com trabalhadores brasileiros. A despesa é uma consequência da falta de prevenção de riscos e os consequentes acidentes de trabalho, que geram o pagamento de auxílios-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílios-acidente.

Nesse período, foram 150 mil Comunicações de Acidentes de Trabalho e 585 pessoas perderam suas vidas por riscos que não foram evitados e perigos que não foram identificados. As causas são variadas, e vão da falta de fornecimento de Equipamento de Proteção Individual (EPI), quedas por falta de treinamento em relação às Normas Regulamentadoras, até a simples falta de organização. Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho.

  • O Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho foi lançado no início do mês passado. A plataforma permite acompanhar o histórico de acidentes no Brasil desde 2012, com dados como total de gastos da Previdência Social com benefícios acidentários e dias de trabalho perdidos por causa de acidentes. Confira no link: https://observatoriosst.mpt.mp.br/.

Sabendo desses dados trágicos e suas graves consequências para a sociedade brasileira, o Ministério Público do Trabalho (MPT) aderiu à campanha Abril Verde neste ano. Entretanto, o número de incidentes relacionados à saúde dos trabalhadores não é alarmante apenas em 2018. O histórico brasileiro nos últimos cinco anos impressiona – afinal, o Brasil é um país continental com milhões de trabalhadores sendo expostos diariamente aos riscos de suas atividades.

De 2012 a 2017, a Previdência Social registrou 305,2 milhões de dias de trabalho perdidas com o afastamento por acidentes ou doenças laborais.  Nesse período, foram 4 milhões de acidentes e R$ 26 bilhões gastos em benefícios acidentários.  A média de trabalhadores afetados é de 646 mil por ano. A faixa etária mais afetada é de 18 a 24 anos e os trabalhadores são em sua maioria homens que exercem atividades de baixa remuneração. O próprio MPT reconhece, entretanto, que o número é pequeno em relação à realidade: os acidentes ainda são subnotificados no Brasil.

Nos últimos cinco anos,  1,8 mil pessoas morreram em acidentes com máquinas ou equipamentos, três vezes mais do que a média das outras causas (677). As amputações são o tipo de acidente mais recorrente em nosso país, totalizando 22,8 mil casos no período – 15 vezes a mais do que a média dos demais acidentes (1,4 mil).

O MPT alerta que, para que esse cenário se altere, é preciso uma mudança geral na cultura. O Governo, os empresários e até os trabalhadores precisam mudar a maneira de encarar os riscos no ambiente de trabalho para que se diminua a quantidade de acidentes e, consequentemente, menos pessoas morram ou fiquem incapacitadas por causa de acidentes relacionados à sua atividade laboral.

Por que o mês de abril?

Abril é o mês de conscientização por causa de dois fatores:

  • 28 de abril é o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho – data instituída por sindicatos canadenses que teve como motivação um acidente que deixou 78 mortos numa mina de carvão, em 1969. A data tornou-se oficial no Brasil apenas em maio de 2005, com a Lei No. 11.121.
  • Também em abril, no dia 7, é celebrado o Dia Mundial da Saúde, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a OMS, a definição de saúde é “estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”.

O movimento Abril Verde

O Movimento Abril verde não surgiu no Ministério Público do Trabalho. A iniciativa é do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Estado do Paraná, e tem como objetivo conscientizar os brasileiros sobre segurança e saúde do trabalho a partir da mobilização de diversos setores da sociedade. São convocados a refletirem sobre o assunto empresas, órgãos governamentais, federações, entidades de classe e federações, para que se reduza a quantidade de acidentes a partir da prevenção.

A ERPLAN apoia o Abril Verde! Nossa expertise é Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade e nós estamos preparados para embarcar nesta jornada em busca de mais segurança com você. Nós já tratamos aqui sobre a carreira em Segurança do Trabalho, te ajudamos a aplicar métodos como a Pirâmide de Desvios ou o Mapeamento de Perigos e Riscos. Também te auxiliamos a implementar uma rotina de Inspeções de Segurança para tomar decisões sobre segurança no ambiente de trabalho tendo indicativos como base.