Pensando em seguir carreira em Segurança do Trabalho? Confira as possibilidades que a área oferece!

Carreira em Segurança do Trabalho

A Segurança do Trabalho é uma área em alta no mercado! Antes não tão valorizada, a profissão tem papel fundamental em qualquer instituição em 2018. Isso porque esses são os profissionais responsáveis por zelarem pela segurança dos trabalhadores de sua empresa,  elevando o nível de eficiência dos processos e diminuindo os riscos a que o quadro de funcionários é exposto. Mas como é a carreira de um profissional em Segurança do Trabalho?

O profissional de Segurança do Trabalho atua na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. A função desses agentes é estratégica – tendo em vista que suas atividades voltam-se aos processos que evitam acidentes e, consequentemente, sanções -, mas também prática: no dia a dia da empresa, são eles que se atentam às leis e normas de segurança a fim de se cumprir protocolos ou normas.

Em um ambiente cada vez mais automatizado com a Indústria 4.0, o cuidado de pessoa a pessoa é fundamental para que os desvios da automação sejam detectados.

Antes de ingressar nessa carreira, é importante decidir qual será a formação escolhida. Para se atuar como Técnico em Segurança do Trabalho, é preciso se formar em um curso técnico (nível médio), tecnólogo (nível superior) ou prestar vestibular para Engenharia de Segurança do Trabalho. Essa escolha implica em diferentes possibilidades de atuação no mercado de trabalho.

  • Técnico em Segurança do Trabalho

O curso de formação técnica em Segurança do Trabalho tem duração aproximada de um ano e meio. Essa modalidade é facilmente encontrada em diversas universidades ou instituições de ensino profissionalizante do país. É possível ainda optar pela modalidade de Ensino a Distância (EAD), que permite se conciliar o estudo às demais atividades – caso, por exemplo, você pense em explorar um novo mercado e trocar de profissão. Opção mais barata que uma formação universitária, o curso técnico oferece amplas oportunidades de inserção no mercado de trabalho com bons ganhos iniciais.

O salário mínimo médio para um técnico em segurança do trabalho no Brasil é de R$ 2,9 mil reais na Indústria e R$ 3 mil na construção civil. Já a média salarial da função é de R$ 860 para estagiários, R$ 1,3 mil para auxiliares técnicos, R$ 2,6 mil para um técnico em segurança e pode chegar a R$ 7 mil no cargo de coordenação.

  • Tecnólogo em Segurança do Trabalho

Essa modalidade garante uma formação de nível superior em curso com duração média de três anos. O diploma abre as portas para vagas com maior qualificação e especializações e, assim, é possível estender a formação com cursos de pós-graduação ou ainda prestar concursos públicos em Segurança do Trabalho.

O curso é popular em todo o Brasil e é oferecido em cerca de 60 instituições – é possível optar por modalidade de ensino a distância assim como o curso técnico. Após a formação, a média salarial inicial no Brasil é de R$ 1,9 mil.

  • Engenharia de Segurança do Trabalho

O curso superior em Engenharia de Segurança do Trabalho prepara profissionais para a responsabilidade de se elaborar, administrar e implementar planos de prevenção de acidentes e doenças laborais. Com essa formação, é possível atuar em empresas ou prestar assessoria a instituições em temas como  segurança e higiene do trabalho, exame de instalações e materiais ou processos de fabricação.

Durante o curso, o estudante será capacitado para orientar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) quanto ao uso de equipamentos de proteção e procedimentos de segurança. Com a grade voltada para as principais técnicas e procedimentos da área, o curso também traz matérias sobre administração, saúde, ergonomia, direito e até psicologia. O salário inicial médio após a graduação é de R$ 5 mil.

Afinal, o que faz um profissional em Segurança do Trabalho?

Seja técnico, tecnólogo ou engenheiro, o profissional em Segurança do Trabalho tem como missão a inspeção das instalações físicas e equipamentos de uma empresa. O objetivo é se certificar de que as leis e normas brasileiras estejam sendo cumpridas.

Em ambientes de risco como chão de fábrica, laboratórios, hospitais e canteiros de obra, o especialista se atenta para riscos e perigos para evitar acidentes, danos e problemas de saúde, a partir de ações como:

  • Desenvolvimento e gerenciamento de modelos de segurança;
  • Implementação de ações para cumprimento da legislação vigente;
  • Implementação de pesquisas e testes;
  • Coordenação de equipes;
  • Proposição de políticas de segurança no ambiente de trabalho;
  • Acompanhamento de vistorias, perícias ou fiscalizações;
  • Atuação e implementação de programas com foco comportamental e
  • Desenvolvimento e manutenção de ferramentas de gestão para medir, avaliar e atuar na melhoria contínua da área de SST.

Será que a Segurança do Trabalho é a carreira que vai realizar seus sonhos?