Transformação Digital: Tecnologia para redução de acidentes de trabalho

Transformação Digital

Na última década o cenário digital passou a fazer parte do nosso cotidiano de forma intensa, sendo quase impossível separar as vidas on-line e off-line. Consequentemente, as empresas também passam por um processo de evolução tecnológica sem precedentes, o que resulta em ganhos de produtividade, competitividade e redução de custos. No entanto, as principais companhias do mercado vão além e buscam por soluções eficientes de TI para ajudar a reduzir os acidentes de trabalho, uma preocupação constante dos gestores de diferentes segmentos.

Segundo o Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS), publicado anualmente pelo Ministério da Previdência Social e Ministério do Trabalho, em 2017 o Brasil registrou uma queda de 6,19% em relação a 2016, com 549.405 acidentes de trabalho em todo o país. O índice apresentado pela publicação segue a tendência de diminuição na última década com a adesão de plataformas de automação digitais para proporcionar um ambiente mais seguro aos trabalhadores. Nesse período, o Transporte Rodoviário de Cargas foi a atividade econômica que registrou maior número de óbitos, com 252 casos. Construção de Edifícios, por sua vez, apresentou maior número de casos de invalidez permanente, com 364 registros.

Mortes evitáveis na Indústria 4.0

Quanto menos a tecnologia envolvida, maior é o risco apresentado aos colaboradores. Um levantamento inédito da BBC News Brasil revelou que dos últimos dez anos ao menos 106 pessoas morreram em armazéns de grãos no país, a maioria delas por soterramento. Não há estatísticas oficiais precisas sobre este tipo de morte, mas a realidade sobre a letalidade neste setor econômico, considerado um dos motores da economia brasileira, é estarrecedora: quando trabalhadores sofrem acidentes, cabe ao empregador informar a ocorrência ao Ministério da Previdência Social. Porém, no formulário analógico de notificações do governo, não há nenhum código para armazéns agrícolas, englobados em categorias mais abrangentes.


Assista o video com a cobertura da BBC sobre o assunto:


As estratégias para evitar esses acidentes são conhecidas há pelo menos 15 anos e poderiam ser amplamente monitoradas pela Indústria 4.0, como já explicamos aqui. Segundo um professor de Medicina do Trabalho ouvido pela reportagem da BBC, a maioria dos acidentes ocorre quando medidas de prevenção não são adotadas ou não funcionam de forma adequada. O especialista afirma que os números indicam que o trabalho em silos está entre as atividades mais perigosas do país, depois das profissões sujeitas a mortes no trânsito.

Monitoramento em tempo real

Nesse cenário, ter profissionais de Segurança do Trabalho mais conectados, engajados e munidos das melhores ferramentas que a tecnologia oferece pode trazer grandes benefícios. Por lei, as empresas são obrigadas a garantir a segurança de seus funcionários, mas cabe também ao trabalhador informar a ausência de equipamentos adequados a situações perigosas. O uso de tecnologias da informação e comunicação, como o SICLOPE – Sistema Integrado de Controle de Operações – ajuda a gerir especificamente processos para a proteção do trabalhador em seu local de trabalho, visando a redução de acidentes e doenças ocupacionais.

Para alcançar os melhores resultados, este software da ERPLAN foi desenvolvido visando o fortalecimento da cultura preventiva dentro das empresas. Os pontos centrais dessa plataforma são a disponibilização de conhecimento sobre um determinado risco, problema ou processo, seu monitoramento e o compartilhamento dessas informações aos gestores para maximizar a velocidade e a assertividade na sua tomada de decisão. Seus recursos podem ser dinamicamente realocados de acordo com cada demanda com poucos cliques. Nossa missão é preservar a vida no ambiente de trabalho, saiba mais sobre o SICLOPE clicando aqui.