Gestão de Treinamentos: Qual a diferença entre capacitado, habilitado ou qualificado?

Gestão de Treinamentos

A Gestão de Treinamentos é um processo fundamental na estrutura de um empreendimento. É preciso manter atualizada a lista de cursos preparatórios ou que renovem o conhecimento da equipe quanto às práticas ou conhecimentos exigidos para se atuar em setores com riscos e perigos específicos. E é nesse momento que surge a dúvida: qual é a diferença entre capacitado, habilitado ou autorizado?

Qualificado, habilitado ou capacitado?

É importante lembrar que cabe às Normas Regulamentadoras a definição dos parâmetros citados acima. Mais especificamente, cabe à NR-10 identificar quais são os trabalhadores que se enquadram em cada uma das categorias na especificidade de Instalações elétricas.  As NR’s 12, 13, 20, 33 e 35 tratam das demais especificidades, mas a definição básica não se altera. Na NR-10, descreve-se assim:

  • Trabalhador Qualificado é aquele que comprovar conclusão de curso específico para atividade exercida na empresa em instituição reconhecida pelo Sistema Oficial de Ensino;
  • Trabalhador Habilitado é aquele profissional legal e previamente qualificado para a sua atividade com registro no Conselho de Classe profissional competente;
  • Trabalhador Capacitado é aquele que recebe capacitação de profissional legalmente habilitado ou trabalha sob supervisão de profissional habilitado.

Gestão de Treinamentos

Agora que você tem em mãos as diferenças conceituais, é hora de avançar aos aspectos de gestão. O primeiro passo – e o mais demorado – é elaborar um Programa de Treinamentos.

Somente a partir desse procedimento será possível ter em mãos uma lista de cada membro da equipe com detalhamento de cursos ou especializações conferidas àquele colaborador. O gestor terá em mãos, em tempo integral, datas de certificação, treinamentos datados para atualização ou ainda prazos finais de validade dos treinamentos ministrados.

Assim, será possível manter em dia com facilidade as reciclagens periódicas – cada função tem uma periodicidade específica que pode ser conferida em cada uma das NR’s, disponíveis no site do Ministério do Trabalho e Emprego – nos seguintes casos:

  1. Troca de função ou mudança de empresa;
  2. Retorno de afastamento ao trabalho superior a três meses;
  3. Modificações significativas em instalações ou processos de organização do trabalho.

Depois, o ideal é cruzar as informações em uma matriz – disponibilizando de maneira intuitiva as graduações e prazos coletados. Esse processo todo, entretanto, pode demorar dias ou semanas, a depender do tamanho da estrutura em questão e do método encontrado para organizar as informações. E nunca há tempo a perder.

Sistema de Gestão de Treinamentos

Um Sistema de Gestão de Treinamentos liberaria esse valioso tempo do gestor para atuar em questões relacionadas à tomada de decisão, delegando tarefas operacionais ao restante da estrutura da equipe. Seria possível, por exemplo, que o gestor se dedicasse a implementar um Plano de Ação que tenha como objetivo qualificar, habilitar ou capacitar funcionários por setor, função ou ainda nível de atuação.

A Gestão de Treinamentos evita sanções, multas, acidentes e mortes, além de trazer ganho de eficiência e qualidade ao empreendimento. E o mais importante é ter mente que o processo de treinamento é constante.

E nada melhor que um Sistema de Gestão como o SICLOPE para controlar um processo com tantas variáveis como a capacitação, habilitação ou autorização para atuação de um funcionário em seu empreendimento. Conheça o Sistema Integrado de Controle de Operações e saiba mais sobre o nosso SGI.