Escalabilidade no Siclope

Imagem ilustrativa

A ERPLAN é uma empresa de vanguarda que se utiliza dos mais modernos recursos tecnológicos para garantir a seus clientes especialmente a segurança dos seus dados.

Além de várias redundâncias (físicas e lógicas), backups, proteção contra vírus e hackers, proteção contra acessos não autorizados, monitoramento 24horas, utilização de software sempre atualizado e diversos outros quesitos plenamente atendidos de segurança da informação, nos preocupamos com o futuro.

Desejamos que nossos clientes utilizem cada vez mais o Siclope, mas você já pensou no que isso de fato implica em termos de recursos computacionais? Já pensou como estará o tamanho do banco de dados daqui a alguns anos? Já pensou na quantidade de usuários que o Siclope pode ter que suportar? Nós já.

O Siclope é um sistema projetado para ser grande. Foi projetado para processar quantidades gigantescas de dados. E o melhor, é escalável.

Isso significa que a estrutura de servidores de rede necessários para o funcionamento do Siclope pode crescer organicamente, à medida que nosso cliente também cresce ou sempre que for identificado por nossa equipe de arquitetos de solução.

Por exemplo, se for necessário aumentar a quantidade de memória RAM, espaço em disco ou até servidores inteiros para poder suportar uma maior quantidade de informação, a infra-estrutura na qual o Siclope é criada permite esta adequação rapidamente, sem qualquer possibilidade de perda de dados.

Se uma nova unidade da empresa em outro país, com centenas de novos usuários precisar ser incorporada à instalação existente, também podemos ampliar a capacidade da infra-estrutura com a facilidade da computação em nuvem.

A escalabilidade, por si, já é um dos principais benefícios da cloud computing. Contudo, ela traz consigo mais uma série de benefícios consideráveis em termos de custos e eficiência, o que acaba tornando a utilização da computação na nuvem ainda mais vantajosa para os nossos clientes, sejam elas de qualquer porte. Os impactos e as vantagens são ainda maiores nas empresas de pequeno e médio porte que passam a ter mais acesso a recursos tecnológicos que antes eram restritos às grandes empresas.

Esta abordagem evolucionária e elástica permite que o Siclope funcione em qualquer tamanho de empresa e os custos operacionais da computação em nuvem ficam menores por Kb armazenado à medida que as necessidades se ampliam. Em outras palavras, o custo unitário é inversamente proporcional ao tamanho da estrutura, devido às negociações que a Erplan tem com seus fornecedores de solução de computação em nuvem. Todas as vantagens econômicas da compra em volume feitas pela Erplan são repassadas aos nossos clientes.

Segurança

O Siclope está construído para suportar um grande volume de usuários em cada instância exclusiva de cada cliente. Nossos arquitetos de software tem larga experiência no desenvolvimento de portais de notícias de grande abrangência.

Por isso, um dos aspectos mais observados é a segurança da informação.

Utilizando uma infra-estrutura planejada para não ser possível o acesso externo, sequer com acesso à internet, os dados dos nossos clientes estão absolutamente seguros sob várias camadas de segurança, desde servidores de firewall, rede física separada, servidores de cache, servidores de backup e redundâncias de disco, fontes de alimentação e do próprio servidor.

Periodicamente todos os servidores são testados contra vírus, ataques dos mais diversos tipos, sempre utilizando as mais recentes descobertas de vulnerabilidades em sistemas de informática. Além disso, contamos com monitoramento 24 horas de anomalias de rede.

O Siclope como você conhece é a camada exterior que tem acesso controlado aos servidores de retaguarda. Ou seja, o próprio software é usuário controlado para acesso ao banco de dados ou aos uploads.

A ERPLAN garante ainda um acesso controlado ao backup completo diário. Por exemplo, a TI da sua empresa pode fornecer um endereço de internet onde nossos sistemas de retaguarda podem armazenar uma cópia de salvaguarda sob seu controle.

Computação em nuvem

“A computação em nuvem vai se tornar quase tão comum como acender as luzes”. Um relatório anual da CompTIA sobre tendências e fatores de crescimento que irão moldar a tecnologia identifica que a previsão feita por Nicholas Carr há alguns anos começa a se tornar uma realidade cada vez mais presente no dia a dia das pessoas.

Outra pesquisa, conduzida pela consultoria KPMG, apontou as 5 principais vantagens da computação em nuvem, segundo quem mais entende do assunto, os usuários: 539 executivos e empresários de todo o mundo.

Pela pesquisa, 61% das empresas consideram a computação em nuvem como a segunda principal tendência de investimento em TI para os próximos anos.

A computação em nuvem é tendência no mundo e os investimentos continuarão. Hoje, nos Estados Unidos, a maioria das empresas já está usufruindo da tecnologia.

USO-DA-NUVEM-NOS-EUA

Uma arquitetura equilibrada é essencial. Na realidade, a arquitetura se tornou uma prioridade, particularmente a nível do CIO, na medida em que o TI não é mais visto como um centro de custos, mas como um centro de produtividade.

Muitos clientes e equipes de TI estão sob pressão para reagir mais rapidamente às novas aplicações baseadas em nuvem do mercado. As atualizações diárias que empurram empresas a repensarem quais tecnologias devem adotar faz com as estratégias de TI entrem em conflito. A razão é que muitos dos objetivos que já foram estabelecidos anteriormente acabam sendo reavaliados com a inserção de novas implementações tecnológicas, alterando o compromisso que prioriza a redução de riscos e custos operacionais.

Cloud computing segue sendo o carro-chefe da tecnologia da informação nas empresas. De acordo com um estudo da consultoria IDC, as empresas latino-americanas (com o Brasil na dianteira) devem investir cerca de 3,6 bilhões de reais, o que representa um aumento de 40% em relação a 2014.

Para finalizar, vários especialistas, dentre eles, o pesquisador e colaborador da revista Forbes americana, Joe McKendrick, apontam que a partir de 2016 o cloud computing passará a ser impulsionadora da inovação no ambiente corporativo. “Em 2016, cloud vai solidificar seu papel emergente como uma máquina de inovação. Vamos ver a solidificação do papel da computação em nuvem como uma porta de entrada para coisas novas — e não apenas como a mais recente estratégia de TI, ou como um mecanismo de contenção de custos”, disse o articulista em um artigo publicado no final de 2015.